Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

sábado, 19 de maio de 2012

A Composição Musical no Processo Musicoterapêutico





De 22 a 25 de maio de 2012, ocorrerá o VIII Simpósio de Cognição e Artes Musicais - SIMCAM8, na cidade de Florianópolis, SC. O tema central do Simpósio é Cognição Musical: trajetórias e perspectivas.


Pela primeira vez vou  participar do evento apresentando o trabalho "A Composição musical no processo musicoterapêutico", escrito por mim e por minha irmã Roberta Soares de Barros Florencio, companheira de vários trabalhos.

No evento passado, (SIMCAM7, 2011), tive um trabalho aprovado e publicado nos anais: "Musicoterapia e Cognição: A importância do fazer musical para estímulo e manutenção das funções executivas de idosos institucionalizados", mas infelizmente não pude comparecer ao evento que foi em Brasília. Nesta edição irei com a família, e apresentarei o artigo no dia 24 (baixe a programação completa aqui).

Veja abaixo o resumo atualizado do artigo que será apresentado:



A composição musical no processo musicoterapêutico
Flávia Barros Nogueira, Roberta Soares de Barros Florencio

RESUMO

A proposta deste trabalho é abordar a relevância da composição musical para o processo musicoterapêutico. A composição musical, segundo Bruscia, é uma técnica utilizada com pacientes que necessitam de melhor organização e planejamento do poder de decisão, de desenvolver a capacidade de identificar e formular temas, aprender a ter compromissos, expor, documentar e comunicar seus pensamentos e sentimentos internos, tornando-os tangíveis. (BRUSCIA 1991 apud BARCELLOS 2004). Assim, a composição oferece um meio do cliente exteriorizar sentimentos e pensamentos muitas vezes reprimidos internamente. Além disso, no processo de composição os mecanismos cognitivos são amplamente estimulados, já que sua produção envolve raciocínio, atenção, memória, pensamento, imaginação, juízo e discurso coerente. Vale destacar que dentro de um processo musicoterapêutico não é necessário que o paciente ou cliente tenha qualquer conhecimento musical, neste caso o musicoterapeuta assume a responsabilidade dos aspectos mais técnicos do processo e tenta adequar à participação do paciente ou cliente de acordo com sua capacidade musical. (BRUSCIA 2000). Assim, este trabalho visa, através de uma abordagem metodológica que envolve um levantamento bibliográfico e breves relatos de casos, apresentar fundamentos que demonstrem os benefícios da composição musical em um processo musicoterapêutico. O levantamento bibliográfico contempla a discussão de publicações de livros e artigos de autores da musicoterapia brasileira e internacional, os quais contemplam, especialmente, a composição musical. Além de autores da musicoterapia, buscamos fontes literárias que abordam a temática da música e sua relação com a mente humana. Os pacientes que tiveram seus casos relatados no trabalho assinaram consentimento livre e esclarecido. Todos encontram-se em processo musicoterapêutico atendidos pelas autoras com diferenças de faixa etária, diagnóstico clínico e gênero, e ilustram os aspectos positivos da composição musical, já que através da composição, acreditamos que o musicoterapeuta pode trabalhar mecanismos importantes para a saúde do seu paciente ou cliente.



Na próxima postagem, confira como foi o evento.
Aguardem também a publicação do trabalho completo.

Maiores informações: http://www.abcogmus.org/simcam/index.php/simcam/simcam8

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, leia as normas do blog:

Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão.

Obrigada por sua participação, fico na expectativa de seu retorno!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Blogger Templates