Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Musicoterapia e Depressão - Benefícios Comprovados




 A Revista Psique deste mês cita um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Jyväskylä ( Finlândia), o qual demonstrou que a associação de Musicoterapia a tratamentos padrões em pacientes deprimidos pode auxiliar mais do que própria medicação.

A equipe de pesquisa, liderada pelo professor Jaakko Erkkilä (Universidade de Jyväskylä) e Professor Christian  Gold (GAMUT, Uni Saúde), recrutou 79 pessoas com idades entre 18 e 50 anos que tinham sido diagnosticados com depressão. 

Professor Musicoterapeuta Jaakko Erkkilä
Para 33 dos participantes, foram oferecidas 20 sessões de musicoterapia, além de seu tratamento habitual para a depressão. Na Finlândia, o tratamento padrão para a depressão inclui medicamentos (antidepressivos), 5-6 sessões de psicoterapia individual e aconselhamento psiquiátrico. Os outros 46 participantes apenas receberam o tratamento padrão, e agiu como grupo de controle.

O processo musicoterapêutico consistiu de 2 sessões semanais com  duração de 60 minutos cada e contou com Musicoterapeutas treinados.

Em média, foram 18 sessões de musicoterapia para cada participante - 29 (88%) compareceram a pelo menos em 15 sessões. Os participantes em ambos os grupos foram acompanhados durante 3 meses e 6 meses e avaliados quanto a sintomas de depressão e ansiedade.

Os pesquisadores descobriram que, depois de três meses, os participantes tratados com musicoterapia demostraram uma melhoria superior do que aqueles que receberam o tratamento padrão apenas. Eles tinham significativamente menos sintomas de depressão e ansiedade.

O professor Gold diz: "Nosso estudo mostrou que a musicoterapia, quando adicionado ao tratamento padrão, incluindo medicamentos, psicoterapia e aconselhamento, ajuda as pessoas a melhorar os seus níveis de depressão e ansiedade. Musicoterapia tem qualidades específicas que permitem às pessoas expressarem-se e interagir de uma forma não-verbal - mesmo em situações em que eles não conseguem encontrar palavras para descrever suas experiências interiores.

Referências:

Música como Caminho. Revista Ciência e Vida: Psiquê. São Paulo: Editora Escala, Ano VI. n. 69. p. 16, 2011.

Jaakko Erkkilä, Marko Punkanen, Jörg Fachner, Esa Ala-Ruona, Inga Pöntiö, Mari Tervaniemi, Mauno Vanhala, Christian Gold. Individual music therapy for depression: randomised controlled trial. British Journal of Psychiatry, 2011.

4 comentários:

Rodrigo Nogueira disse...

Qual universidade???

Flávia Barros Nogueira disse...

Universidade de Jyväskylä mesmo, eis o link https://www.jyu.fi/en/

Flávia Barros Nogueira disse...

Caro Rodrigo e amigos

Vale lembrar que a Finlândia é um país com elevado índice de depressão e suicídio. Apesar da Universidade citada ter um nome completamente desconhecido para nós, a credibilidade se dá com sua publicação, no caso deste artigo, que foi publicado no British Journal of Psychiatry, importante e tradicional jornal britânico de conteúdo científico.

joelantiqueira@yahoo.com.br disse...

A UNICA TERAPIA QUE EU VEJO NA MUSICA E QUANDO LOUVAM AO CRIADOR DO UNIVRSO,

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, leia as normas do blog:

Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão.

Obrigada por sua participação, fico na expectativa de seu retorno!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Blogger Templates