Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

quarta-feira, 2 de março de 2011

Idoso e o Carnaval - Tempo de relembrar as antigas canções




É tempo de carnaval, e nesse período, as antigas canções, especialmente as Marchinhas de Carnaval, ressurgem e são cantadas nas festas, bailes e matinês por pessoas de todas as idades. Mas são aqueles que vivenciaram a época das marchinhas, os idosos, que as cantam com um significado especial. Seja cantando ou apenas ouvindo, eles não apenas se divertem, mas relembram a juventude e o vigor de um tempo que não volta mais.


A natureza dinâmica da Música

A música possui a capacidade de transcender o tempo, ultrapassa décadas e séculos, assim como as diferentes culturas e gerações inteiras. Onde quer que aja um povo, uma cultura, a música está presente,  nos rituais de passagem desde os de fecundidade e nascimento, aos rituais de cura e morte (Wisnik, 1989).

Nunca houve nem haverá um povo sem música. Refletir sobre o que é e o que significa a música, sua influência no ser humano é fato antigo, ao mesmo tempo atual e necessário para quem decide trabalhar nessa área.

No processo de envelhecimento, a música oferece sentido aos momentos e às épocas, promovendo a reflexão dos sentimentos  e sonorizando as realidades.

A musicoterapia na terceira idade, estimula, através do prazer de cantar, tocar um instrumento musical, improvisar, criar e recriar, o redescobrir das canções que fizeram parte dessa  longa jornada chamada vida.

Relembrar o passado, porém, não deve significar apenas vivenciar sentimentos de saudosismo e pesar. Embora muitos idosos apresentem uma fala melancólica, o musicoterapeuta utiliza-se da música em seu aspecto dinâmico. A música não é estática e presa a uma determinada época, antes, ela apresenta em sua natureza, a capacidade de movimento e renovação.

Assista um vídeo do Trio Irakitan  cantando "Touradas em Madri", Marchinha de 1938 (participação de Grande Otelo):



Não há como modificar o tempo, nem modificar o passado. Pode-se, porém, reorganizar o presente, fazer com que acontecimentos vividos sejam ressignificados e, assim, impulsionar ações futuras.
Da mesma maneira, não há como voltar no tempo e vivenciar uma situação novamente. Na música, como na vida, sempre existe a possibilidade da repetição, da releitura, de um novo arranjo. (NOGUEIRA E FLORENCIO, 2010)


Baixe aqui dezenas de Marchinhas de Carnaval.



Referências: 

NOGUEIRA, Flávia B. e FLORENCIO, Roberta S. B. Morte e Espiritualidade na Velhice. Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Musicoterapia. Salvador, 2010. 


SOUZA, Márcia Godinho. Musicoterapia e a clínica do envelhecimento. In: Freitas V, et al. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. 


WISNIK, José Miguel. O Som e o Sentido. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. 

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, leia as normas do blog:

Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão.

Obrigada por sua participação, fico na expectativa de seu retorno!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Blogger Templates